sexta-feira

Aurélio Simões

Olá pessoal!!

Tudo bem com todos? Espero que tudo esteja bem =)

Sexta-feira é dia de entrevista e nosso entrevistado da vez é o escritor do livro que foi o grande vencedor do "1º Prêmio Clube de Autores de Literatura Contemporânea"!

Senhoras e senhores, meninos e meninas! Com vocês o autor de "Sede de Vingança": Aurélio Simões!

O livro “Sede de Vingança” foi sua primeira experiência como escritor ou você já escrevia antes?
Eu escrevo desde os meus doze anos, e comecei com poesias. Mas logo me apaixonei a escrever romances. Escrevi três, mas só tive coragem de publicar “Sede de Vingança”.

Como e quando começou a escrever “Sede de Vingança”? Foi tudo inspiração ou você teve algumas referências?
Sede de Vingança” foi escrito primeiramente no ano de 2002. A narrativa era em primeira pessoa e o título era “Inocência Obscena”. Um dia, decidi dar uma reformulada na obra, e a narrativa passou ser em terceira pessoa e, é claro, mudei o título que era um pouco estranho.

O que veio primeiro: o enredo ou algum personagem?
As personagens. Lembra da novela “Mulheres de Areia”, e as gêmeas Ruth e Raquel? E lembra do filme “Instinto Selvagem”? A Yara é completamente inspirada na escritora que assassina seus amantes. Essas duas referências foram a base para a criação do meu livro.

Ao contrário da maioria dos enredos que tem irmãs gêmeas como protagonistas, Yara e Yasmin não desprezam uma a outra; ao contrário, mesmo tendo personalidades tão diferentes, são unidas e tem um objetivo em comum. Isso foi proposital para fugir do clichê “gêmeas que se odeiam” ou fluiu naturalmente?
Foi proposital. Não queria contar mais uma história de gêmeas que se odiavam e que disputavam algo em comum. Decidi que seria mais interessante narrar uma história em que as duas buscavam o mesmo ideal.

O fato de ambas serem prostitutas também foi uma maneira de quebrar clichês e oferecer algo novo para o leitor? E o que o fez decidir que as duas teriam a mesma “profissão” e não apenas uma delas?
Embora pareça, em uma primeira leitura, que ambas são garotas de programa, o leitor descobre no decorrer da história, que apenas Yara se prostitui. Yasmin apenas utiliza seu corpo e o sexo para ajudar a irmã, como se observa no primeiro capítulo.

Todos os personagens são como uma espécie de filhos para o escritor; no entanto, mesmo gostando de todos, sempre tem algum “filho favorito”. Qual é o seu?
Em relação a “Sede de Vingança”, a minha personagem preferida é a Yara. Esta é aquela mulher do tipo “mulher fatal” que sempre achei muito interessante.

Teve algum personagem no livro que deu um trabalho a mais para desenvolver?
A Yasmin. Tinha o receio de criar uma personagem muito “boazinha” e que ela se tornasse chata. Meus leitores dizem que essa personagem ficou na medida.

Algo que chama a atenção no livro, além de todos esses diferencias é a capa; já li vários elogios quanto a mesma. Foi você quem a idealizou ou recebeu alguma ajuda?
A capa foi idealizada e criada por uma capista profissional. Esta chama-se Marina Avila. Recomendo a todos os escritores iniciantes que conheçam o trabalho dela.

Nesse ano seu livro não só participou do “1º Clube de Autores de Literatura Contemporânea” como foi o grande vencedor. Qual foi a sensação de saber que o seu livro foi o grande campeão de um concurso no qual estavam concorrendo mais de 380 títulos?
Tomei um susto. Não esperava. Quando um dos gerenciadores do Clube de Autores, me ligou, pensei que fosse trote. Mas a ficha caiu e, é claro, fiquei muito feliz.

E como foi a experiência de estar autografando seu livro na FLIP 2010?
Foi o máximo. Nunca tinha tido a experiência de autografar um livro, e isto aconteceu logo na Flip, um dos maiores movimentos literários do país. Foi uma honra e com certeza irá marcar para sempre a minha carreira.

Quais são seu autores favoritos? Há algum que seja mais especial que os outros?
Embora eu leia vários autores, o meu maior referencial é Sidney Sheldon. O que eu considero o de mais extraordinário nas obras desse autor, é a habilidade que ele tinha em conduzir uma narrativa.

O quê escrever representa na sua vida?
É o modo pelo qual eu utilizo para me entender, entender o próximo e o resto do mundo.

Você tem algum “ritual” quando vai escrever?
Ritual não, mas tenho preferência em trabalhar em um local silencioso, acompanhado de um bom suco.

Já está trabalhando em outro livro?
Sim. Será um suspense nos moldes de “Sede de Vingança” e irei abordar um tema polêmico: a prática do swing.

O quê sua família pensa as respeito de sua carreira como escritor?
Todos adoram e incentivam.

Momento Ping-Pong

Um livro: Se houver amanhã, de Sidney Sheldon.
Uma música: Tocando em frente.
Um filme: Halloween, de John Carpenter
Uma frase: Costumo dizer que há jeito para tudo, menos para a morte.
Um ídolo: Madonna.
Um exemplo de vida: Todas as pessoas que possuem uma deficiência. Se elas conseguem alcançar seus objetivos e levar uma vida na boa, quem sou para reclamar da minha.
Uma cor: Preta.
Uma mania: Roer unhas.
Um lugar: Ilha grande.
Um sonho: Conseguir que meus livros estejam nas maiores livrarias do país.

Para terminar nossa entrevista, poderia dar alguma dica ou palavra de incentivo para quem está começando na carreira de escritor?
Primeiramente não desista nunca. Se você levou um não de uma editora ou foi mal avaliado como escritor, não perca as esperanças. Leia e estude mais. Lembre-se que você não tem que ser um bom escritor, você tem que ser o melhor.


5 comentários:

Mariana Ribeiro disse...

Muito legal essa entrevista!! Mais um colega escritor que está conseguindo o seu espaço no mercado editorial! Parabéns!
Eu também adoro os livros de Sidney Sheldon, e por coincidência o meu preferido é "Se houvesse Amanhã". Inclusive foi o primeiro livro que eu li dele e no total já li dez livros!
Adorei esse espaço e sempre que puder acompanharei mais entrevistas!
Uma maravilhosa oportunidade do escritor iniciante poder divulgar o seu trabalho e um pouco da sua história.
Abraços
:D

Julie disse...

Como sempre o blog apresentando qualidade.Parabéns à todos =D

John disse...

Nossa, participou pela primeira vez e já ganha o concurso, estou impressionado, parabéns!. É muito interessante história que envolvem gemêos. Parabéns e muito sucesso!
Abraços

Yuri disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Grande iniciativa. Tão importante quanto o Clube dos Autores.
Já estou enviando meus livros para divulgação.
Abraço,
Julis